Teatro para todos: como as peças podem ser mais acessíveis?

Assim como qualquer forma de arte, o teatro deve estar aberto a todos. Pessoas com deficiência auditiva e visual não podem ser privadas da magia dos palcos. Mas, diferentemente do cinema, a logística da acessibilidade no teatro é mais complexa. No caso de legendagem oculta (CC), o recurso comumente utilizado é uma tela localizada próxima ao teto das salas ou abaixo dos palcos – nela são projetadas as legendas. Também usa-se a Língua brasileira de sinais (LIBRAS) por meio de um(a) intérprete, que fica em cima do palco, em um espaço com luz própria. 

Por outro lado, há outros recursos que começam a ser mais utilizados, como a audiodescrição. Este serviço é altamente efetivo para quem possui deficiência visual, além de ser menos incômodo para o restante do público. Trata-se da descrição de tudo o que acontece em cena via áudio, que a pessoa com deficiência ouve com fones. 

Nós, da Steno, desenvolvemos uma solução para oferecer esse recurso com mais conforto: o MobiLOAD, tablet com uma haste flexível que se adapta a qualquer cadeira. O dispositivo fornece a audiodescrição e Closed Caption em tempo real. Os recursos aparecem sincronizados com o que está acontecendo no palco. Também é possível escolher entre três opções de idioma: português, inglês e espanhol.

Como funciona na prática?

Quando o serviço é contratado para o uso do dispositivo móvel, a inserção dos recursos de acessibilidade é realizada ao vivo e presencialmente. No dia do espetáculo, o audiodescritor descreve, de dentro de uma cabine, tudo o que se passa no palco.

O mesmo acontece com as legendas ocultas que aparecem no telão: a inserção é feita em tempo real. Em ambos os casos, nós elaboramos o roteiro da peça com antecedência – nossos profissionais assistem a ensaios e apresentações antes de realizarem o serviço ao vivo.

Para garantir que os conteúdos cheguem aos tablets e à tela, levamos roteadores e a transmissão é feita via WiFi, por meio de um software que desenvolvemos.

Já quando o recurso escolhido é um intérprete de libras em cima do palco, é necessário que a pessoa esteja em um lugar iluminado e que todos da plateia tenham uma boa visualização. Durante toda a peça, a pessoa responsável realiza a tradução para a língua brasileira de sinais.

Nós sentimos muito orgulho por contribuir para que o teatro chegue a todos. E neste mês de julho, estamos a todo vapor prestando assistência para sete espetáculos em diversas regiões de São Paulo. Confira a lista:

  • 07/07 – LIBRAS em As dez memórias de Emília – Teatro Municipal do Itaim Bibi Décio de Almeida Prado
  • 12/07 – LIBRAS em AI5 – Teatro Municipal da Mooca Arthur Azevedo
  • 14/07 – LIBRAS em TV sem controle – Teatro Municipal da Lapa Cacilda Becker
  • 20/07 – Audiodescrição em Comédias Furiosas – Centro Cultural Municipal de Santo Amaro
  • 27/07 – LIBRAS em Poema Suspenso em uma cidade de trevas – Teatro Municipal de Cangaíba Flávio Império
  • 28/07 – Audiodescrição em Romeu e Julieta – Teatro Municipal de Santana Alfredo Mesquita

Caso você queira levar acessibilidade também para a sua apresentação, entre em contato com a gente. Vamos unir forças por um mundo mais inclusivo e igual.