Surdos oralizados e sinalizados: conheça as diferenças

Quando se trata de deficiência auditiva, alguns termos causam muitas dúvidas. Por exemplo: “surdo” é uma palavra pejorativa? Deve-se chamar alguém de “deficiente auditivo”, ou de “pessoa com deficiência auditiva”? O que são os surdos oralizados e os surdos sinalizados? É normal que você não saiba responder, e até que cometa algumas gafes. Em nosso trabalho com acessibilidade aqui na Steno, aprendemos quais são as diferenças e como tratar cada uma dessas pessoas com cortesia.

Um surdo ou uma surda (não é deselegante chamá-los assim) tem limitações maiores do que uma pessoa com deficiência auditiva (eis a forma correta de se chamar). A surdez faz com que pessoas não consigam ouvir som algum, e as deficiências auditivas comprometem uma parte da audição.

Quase dez milhões

De acordo com pesquisa realizada em 2010 pelo IBGE, existiam, no Brasil, cerca de 9,7 milhões de pessoas que apresentam alguma deficiência auditiva.

Com a ajuda de aparelhos ou implantes, quem tem deficiência pode conseguir aprimorar a sua audição. Já a surdez só poderá ser revertida caso seja tratada na infância.

A pesquisa do IBGE revelou também que 2 milhões de brasileiros são surdos. E, entre eles, há três grupos: os surdos implantados, os surdos oralizados e os surdos sinalizados.

Surdos implantados são aqueles que usam o chamado implante coclear. Trata-se de um dispositivo eletrônico que é parcialmente fixado no ouvido para proporcionar, a quem tem surdez, uma audição próxima daquela que é considerada normal.

O implante coclear costuma funcionar com quase 100% de eficácia em casos de crianças ou jovens. Mas, conforme a idade vai aumentando, as chances de recuperar a audição por completo diminuem. Além de contar com parte da audição, os surdos implantados podem também fazer a leitura labial e entender Libras (Língua Brasileira de Sinais).

Surdos sinalizados X surdos oralizados

Como o nome já diz, os surdos sinalizados são aqueles que sinalizam, ou seja, que conversam por meio de gestos. Eles têm, como primeira língua, a Libras, não sendo capazes de compreender a língua portuguesa. Costumam ser popularmente conhecidos como “surdos-mudos”, mas essa denominação, sim, é considerada pejorativa – é importante evitá-la.

Já os surdos oralizados são aqueles capazes de realizar leitura labial para entender o que as outras pessoas estão dizendo. Eles também conseguem expressar-se verbalmente. Assim sendo, compreendem a língua portuguesa por terem bastante contato com as pessoas não-surdas, uma vez que aprenderam o idioma. Ou, ainda, são pessoas que se tornaram surdas por conta de algum acidente ou doença, depois de já terem sido alfabetizadas.

Pessoas com deficiência auditiva, surdos implantados, oralizados ou sinalizados: na Steno, nós trabalhamos para que todos tenham acesso a conteúdos audiovisuais. Por meio da inserção de recursos como closed caption (legenda oculta) e Libras, procuramos contribuir para uma sociedade mais inclusiva. Conscientizar por meio da informação é outra maneira de fortalecer esse trabalho.