“Setembro Azul”: entenda porque o mês é tão importante para surdos e pessoas com deficiência auditiva

Para a comunidade surda e de pessoas com deficiência auditiva, setembro é um mês marcante. Há várias datas significativas — incluindo o dia 26, em que no Brasil comemoramos o Dia Nacional dos Surdos. Trata-se de uma homenagem ao professor surdo francês Eduard Huet, que fundou a primeira escola para surdos aqui no país. Graças a essas datas, o mês passou a ser chamado de “Setembro Azul”.

A cor faz referência a uma memória triste. Na Segunda Guerra Mundial, Hitler mandava os soldados nazistas amarrarem, nos braços de pessoas com deficiência, fitas azuis para identificá-las como não pertencentes ao ideal da “raça pura”.

Conforme o tempo passou, os surdos transformaram esse fato lamentável em símbolo de resistência. Hoje, o azul representa a luta por representatividade e o orgulho da comunidade surda e de pessoas com deficiência

Outras datas importantes

Os dias 6 e 11 de setembro marcam outro fato triste: nessas datas do ano de 1880, foi realizado o Congresso de Milão, que proibiu o uso internacional das Línguas de Sinais na educação dos surdos. Os participantes do evento — na maioria, ouvintes — declararam que a educação oralista era superior à de sinais, pois os gestos afetavam a fala, a leitura labial e a clareza dos conceitos.

Por outro lado, no dia 10 de setembro é comemorado o Dia Internacional das Línguas de Sinais. A iniciativa foi da Associação de Surdos da Suécia, em 2011.

No Brasil, o dia 26 de setembro foi marcado pela criação, em 1857, do Imperial Instituto de Surdos Mudos. A criação ficou a cargo de Huet, que veio ao país a convite de D. Pedro II. Localizada no Rio de Janeiro, foi a primeira instituição para a educação de pessoas com deficiência auditiva e acabou se transformando no Instituto Nacional de Educação dos Surdos (INES), que hoje mantém o ensino e ainda auxilia a formulação das políticas para pessoas com deficiência.

Já no dia 30, temos uma comemoração dupla: Dia Internacional do Surdo e Dia do Profissional Tradutor.

Um mês para celebrarmos a acessibilidade

Por tudo isso, setembro também é um mês muito importante para o Grupo Steno. Pois parte do nosso trabalho é voltado justamente para essa comunidade, contribuindo para um mundo cada vez mais inclusivo. Contribuímos serviços que promovem a acessibilidade de conteúdos audiovisuais para surdos e pessoas com deficiência auditiva.

Um exemplo desse trabalho é o nosso estúdio exclusivo para gravação de Libras. Inaugurado em 2017, o espaço é moderno, equipado com iluminação-padrão, câmeras que filmam em até 4K e fundo de chroma-key (aquele fundo verde, sobre o qual podem ser inseridas imagens na edição). O objetivo dessa estrutura é melhorar a qualidade da gravação dos intérpretes de Libras — e do serviço que chega às pessoas com deficiência.

A gravação de Libras também é utilizada no MobiLOAD®, um tablet com uma haste flexível que se adapta a qualquer cadeira e que traz recursos de acessibilidade para cinemas, teatros ou eventos.

Com esses e outros serviços, o Grupo Steno contribui para conteúdos mais acessíveis e para um mundo mais inclusivo — não só em setembro, mas em todos os dias.

Para obter mais informações sobre nossos produtos, basta enviar um e-mail para steno@steno.com.br ou ligar para +55 (11) 3747-0100.