Novo estúdio de Libras leva acessibilidade a mais conteúdos

Se você assistiu a A Forma da Água, filme do diretor mexicano Guillermo del Toro premiado no Oscar 2018, deve-se lembrar de que Elisa, a protagonista, é muda. Seja com seu vizinho e amigo Giles, seja com a colega de trabalho Elza, com o vilão Strickland ou com o próprio Homem Anfíbio, ela só se comunica por meio de gestos. No caso, trata-se da Língua de Sinais Britânica, por meio da qual se expressa a comunidade de pessoas com deficiência auditiva e de fala nos países anglófonos.

Aqui no Brasil, essa linguagem é conhecida como Libras — Língua Brasileira de Sinais. Sua importância é tanta que ela é tida como a segunda língua oficial do país. Assim como os sistemas de closed caption e de audiodescrição, a interpretação de áudios e vídeos por meio de Libras permite que os conteúdos audiovisuais sejam acessíveis para muito mais pessoas.

Onde a mágica acontece

Desde os anos 1990, o Grupo Steno trabalha estimulando a inovação da acessibilidade. Nesse sentido, uma das iniciativas recentes foi a criação do nosso estúdio de Libras, inaugurado em 2017. Montamos em nosso escritório um espaço moderno, equipado com iluminação-padrão e fundo de chroma-key (aquele fundo verde, sobre o qual podem ser inseridas imagens na edição).

O objetivo dessa estrutura é a gravação dos intérpretes de Libras que, durante os conteúdos, aparecem naquele pequeno box, geralmente no canto inferior direito das telas.

São esses intérpretes que permitem às pessoas com deficiência entender o conteúdo de séries, filmes e programas de televisão.  Eles costumam ser, também, tradutores, transpondo para Libras os conteúdos de áudio e vídeo, para depois fazer os movimentos na frente das câmeras.

O fluxo de Libras

Levar a Libras aos conteúdos audiovisuais é um trabalho e tanto. Funciona da seguinte forma: nós recebemos o arquivo de vídeo de nossos clientes, geralmente produtoras, e o enviamos ao intérprete. Quando a tradução está pronta, a gravação é agendada. Na data marcada, o intérprete é acompanhado por um consultor, que é quem cuida da qualidade da interpretação — como ela geralmente tem de ser muito rápida, acompanhando o áudio, esse consultor observa-a atentamente, fazendo correções quando necessário.

Dependendo da urgência exigida por nossos clientes, podemos fazer a tradução e gravação de um dia para o outro. Propagandas, por exemplo, demandam muita agilidade no processo. Já filmes e seriados, que requerem uma tradução mais complexa, têm prazos maiores.

Agora é lei

A propósito do cinema, de agora em diante, a Libras não será somente uma opção, mas uma obrigação. Uma lei federal criada pela Ancine impôs que todos os filmes distribuídos em mais de 20 salas devem oferecer acessibilidade total – legendas, audiodescrição e Libras.

Os recursos não estarão disponíveis na tela para todos os espectadores, mas em um tablet distribuído às pessoas com deficiência antes da sessão começar.

Filmes com protagonistas portadoras de deficiência e leis de acessibilidade são avanços fundamentais. Sabemos que ainda há muito a se fazer, mas esforços como estes contribuem para a criação de conteúdos totalmente inclusivos — e o Grupo Steno orgulha-se de ajudar o Brasil a traçá-lo.