Como é o trabalho de um estenotipista? Conheça sobre a rotina desse profissional

Neste post, você conheceu a estenotipia, técnica que gera as closed captions (CC), ou legendas ocultas. Trata-se da forma mais tradicional e eficaz de tornar acessíveis os conteúdos audiovisuais. Agora, vamos conhecer melhor quem é responsável por essa técnica: o estenotipista.

Esse profissional opera o estenótipo, máquina com 24 teclas que podem ser apertadas simultaneamente e que podem ser combinadas, formando diferentes fonemas. Com isso, o estenotipista “escreve” palavras inteiras em milésimos de segundo.

Parece simples, mas não é

O trabalho e a formação de um estenotipista não são fáceis. Há poucos cursos de formação especializados no Brasil e são poucos os alunos que concluem os estudos.

Para tornar-se estenotipista, uma pessoa leva em média quatro anos. Os candidatos não precisam ter curso superior. Nesse período, deve demonstrar habilidade e se dedicar com afinco aos estudos. Para exercer a atividade ela deve estar apta a atingir o índice necessário para se fazer a estenotipia em programas pré-gravados (de 100 a 140 palavras por minuto) e em programas ao vivo (de 150 a 200 palavras por minuto).

A rotina de trabalho

No dia a dia, a atividade é cansativa porque exige concentração total. Por isso, a jornada de trabalho de um estenotipista costuma ser mais curta do que a jornada padrão de oito horas diárias. São seis horas de ouvidos atentos e digitação intensa. A cada duas horas, os profissionais costumam fazer intervalos de quinze minutos.

A vantagem é que o trabalho pode ser remoto. Basta o profissional ter o estenótipo em casa, uma boa conexão e as ferramentas de comunicação necessárias para realizar a inserção das legendas nos programas.

O estenotipista pode especializar-se tanto em inserir o closed caption (CC) ao vivo como em fazer as legendas antes de o programa ir ao ar, a chamada programação pré-gravada).

Com relação ao regime de contratação, há dois tipos: os estenotipistas que trabalham com carteira assinada e aqueles que fazem freelancer, mas os dois têm horários fixos e definidos com antecedência, e isso não depende do tipo de programação que irão fazer (ao vivo ou pré-gravados).

A programação não para, portanto os estenotipistas também trabalham nos finais de semana, com uma escala de revezamento entre os profissionais.

Desligue seu celular

Se você visitar o ambiente de trabalho de um estenotipista, vai perceber que o silêncio é total. Deve ser assim, pois, caso contrário, a concentração e o trabalho seriam atrapalhados. Esse silêncio tampouco é perturbado pelo som do estenótipo, cujas teclas são mais discretas do que as dos computadores comuns.

Estenotipistas capacitados são muito procurados no mercado e a remuneração está de acordo com essa demanda.

No Grupo Steno, entendemos perfeitamente o valor desses profissionais. E buscamos sempre os mais bem preparados para oferecer conteúdos acessíveis, da melhor qualidade possível.