A inserção de pessoas com deficiência visual no mercado de trabalho

A Lei de Cotas para Deficientes e Pessoas com Deficiência, criada em 1991, determina que toda empresa a partir de 100 funcionários destine uma porcentagem de suas vagas a pessoas reabilitadas ou com deficiência. Mas para que estas pessoas cheguem até os cargos oferecidos, é necessário ter uma formação especializada. Algumas instituições, como a Fundação Dorina Nowill, oferecem esse tipo de formação para quem tem baixa ou nenhuma visão. 

São seis cursos livres para profissionalizar pessoas com deficiência visual: informática para o mundo do trabalho, atendimento ao cliente, massoterapia, empreendedorismo, auxiliar administrativo e desenvolvimento de talentos. 

Os professores são capacitados para ensinar de um jeito acessível para que todos consigam se desenvolver e se tornar profissionais. Durante as aulas, os alunos aprendem não só a teoria, mas também colocam a mão na massa. 

No curso de informática, além de aprender como usar os programas do pacote Office (Word, Excel, PowerPoint), eles aprendem técnicas de digitação através do leitor de tela NVDA (NonVisual Desktop Access), uma espécie de ajudante, que por meio de voz, diz o que está aparecendo no monitor. 

No curso de atendimento ao cliente, jovens e adultos aprendem a usar os meios digitais, telefônicos, e presenciais para saber como agir em situações diversas com o público. No curso de massoterapia, os alunos recebem aulas de massagem rápida e reflexologia, sempre com uma capacitação comportamental e com um foco grande na empregabilidade. 

Para os que preferirem montar o próprio negócio, a Fundação preparou um curso sobre empreendedorismo no qual apresenta as tendências de mercado, inovações e dicas de como começar e com fazer o negócio crescer. 

É válido lembrar que para fazer parte de qualquer curso é necessário ter mais de 18 anos, ensino médio completo ou em conclusão e não pode ser aposentado por invalidez. Caso tenha interesse e deseje saber mais, envie um e-mail para cursos@fundacaodorina.org.br ou ligue para o número (11)5087-0986.

Nós do Grupo Steno, torcemos para que iniciativas como esta ganhem força e contribuam para que tenhamos uma sociedade mais justa e acessível.