Boas notícias, importantes avanços: um balanço da acessibilidade em 2018

O ano está acabando. Em termos de acessibilidade para pessoas com deficiência auditiva e visual, 2018 trouxe boas notícias e importantes avanços que, aos poucos, vão contribuindo para tornar o mundo mais inclusivo.

E já que esta é uma época de balanços e retrospectivas, apresentamos aqui uma breve lista dos fatos que merecem destaque no campo da acessibilidade para conteúdos audiovisuais:

 

A Virada Cultural mais acessível da história

A 14ª edição do evento organizado pela Prefeitura de São Paulo foi a mais inclusiva até aqui. Ao todo, foram cerca de 75 atividades utilizando Libras e audiodescrição em tempo real por toda a cidade.

 

Golaço na Copa da Rússia

Na Copa deste ano, a Fifa disponibilizou kits gratuitos com fones de ouvido para audiodescrição durante os jogos. O serviço foi oferecido em inglês em dois estádios, Moscou e São Petersburgo, e em russo em todas as arenas.

 

Bienal do Livro de São Paulo para todos

Em sua 25ª edição, o evento mais importante do mercado editorial contou com diversos destaques de acessibilidade. Foram distribuídos óculos que transformam em áudio qualquer conteúdo, havia totens interativos para que os visitantes pudessem ouvir mais de dez mil títulos e um painel abordando acessibilidade para leitores, com audiodescrição realizada pelo Grupo Steno.

 

Redes sociais acessíveis

Neste ano, o Instagram passou a permitir que usuários com deficiência visual tenham audiodescrição das publicações em seus feeds. Além disso, cada vez mais conteúdos audiovisuais de redes como Facebook e YouTube passaram a contar com legendagem oculta. Saiba mais neste texto do nosso blog.

 

Estúdio de Libras a todo vapor

A interpretação de áudios e vídeos por meio de Libras permite que os conteúdos audiovisuais sejam acessíveis a mais pessoas. Para oferecer esse serviço com excelência, fundamos o estúdio de Libras do Grupo Steno. Este post tem tudo o que você precisa saber a respeito.

 

Museus sem restrições

Neste ano, diversos museus também passaram a oferecer recursos para que pessoas com deficiência auditiva e/visual pudessem visitar exposições. Um exemplo é o Museu Republicano de Itu, onde pessoas com deficiência visual conseguem “ver” os objetos por meio de maquetes e de um aparelho que descreve o passeio.

 

Também em 2018, nós comemoramos os dois anos da Lei Brasileira de Inclusão (LBI), que vem sendo fundamental para a construção de uma sociedade mais justa. E a propósito de regulamentação, está prevista, para o ano que vem, a vigência da Instrução Normativa nº. 128, criada pela ANCINE, que exige acessibilidade em salas de cinemas. Clique aqui e saiba mais sobre essa mudança.

 

Enfim, foi um ano de avanços, mas ainda há muito a se fazer. O trabalho em favor da acessibilidade é árduo e diário, e é preciso que todos se conscientizem de sua importância. Por isso, vamos unir forças para que, em 2019, este balanço seja ainda melhor.